Ações contra trabalho escravo atingem agricultura, construção e pecuária

As três atividades predominaram nas operações durante o primeiro semestre. Foram resgatados 421 trabalhadores 

No primeiro semestre, as 57 operações realizadas contra o trabalho escravo resultaram em 109 empregadores autuados e resgate de 421 trabalhadores. O balanço foi divulgado pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

As autuações predominam em três atividades: agricultura (155 resgatados), construção civil (88) e pecuária (83). Depois vêm produção de cartão vegetal (30) e pesca (16).

Em Minas Gerais foram resgatados 91 trabalhadores, em oito operações. No Espírito foram 86, em uma só fiscalização no setor agrícola. Em seguida, aparecem Goiás, com 53 casos, São Paulo, com 46, e o Pará, com 37.

O chamado Grupo Especial de Fiscalização Móvel é formado por auditores-fiscais do trabalho, integrantes dos Ministérios Públicos Federal e do Trabalho, Advocacia-Geral da União, Defensoria Pública, Polícia Federal e Polícia Rodoviária. Os empregadores autuados podem ser incluídos na “lista suja” do MTE.

No ano passado, foram realizadas 179 ações e resgatados 2.063 trabalhadores. Desde 1995, quando as operações começaram, o número de resgates supera 46 mil.

REDE BRASIL ATUAL

Mapa global da 350

Confira campanhas, eventos e grupos locais em todos os lugares no mapa global do 350!
Ver mapa