4 Julho, 2019

G20 deixa a desejar na questão da emergência climática

Declaração fraca mostra que os verdadeiros líderes climáticos não são os políticos reunidos no Japão

(Osaka, Japão) -HOJE – Após pressão do presidente Trump e da liderança morna do anfitrião, o primeiro-ministro Abe do Japão, a reunião do G20 encerrou com um compromisso historicamente fraco para combater o colapso climático.

“A ação climática está eliminando gradativamente os combustíveis fósseis como carvão, petróleo e gás. A ação climática está cortando o financiamento voltado para os combustíveis que impulsionam o colapso climático. A reunião do G20 no Japão não assumiu nenhum compromisso significativo com relação a essas questões-chave e abdicou completamente de sua responsabilidade”, afirmou Takayoshi Yokoyama, da 350.org 350.org Japão.

O comunicado oficial não se compromete com a eliminação gradual dos combustíveis fósseis, reitera de maneira fraca a necessidade de abordar os subsídios aos combustíveis fósseis e não faz referência a compromissos anteriores de trabalhar na divulgação de informações financeiras e do risco climático. Em uma mudança significativa em relação a práticas do passado, o comunicado também permite que os Estados Unidos insiram seu próprio parágrafo, justificando seu isolacionismo climático. As menções a tecnologias não comprovadas de uso e armazenamento de captura de carbono (CCUS) não solucionarão a crise climática. Precisamos de ações ousadas das maiores economias do mundo para acelerar a transição justa e imediata para uma sociedade com 100% de energia livre e renovável.

“Os políticos continuam negando o colapso climático em seus discursos. Cidades indianas estão sem água. A Europa está cozinhando em uma onda de calor sem precedentes. As intensas tempestades que atingiram Moçambique e o tufão que inundou o aeroporto de Osaka, bem ao lado do local da reunião deste ano, ainda são muito recentes; no entanto, vemos banalidades nessas reuniões e, às vezes, nem isso”, afirmou Norly Mercado, Diretor da 350.org Ásia.

Antes da reunião, manifestantes em toda a Ásia se juntaram a 80.843 pessoas que assinaram a petição on-line pedindo que o país anfitrião da Cúpula do G20, o Japão, priorize as ações urgentes sobre a crise climática na reunião. Em toda a região, as pessoas têm protestado em frente às embaixadas japonesas para exigir que o Japão demonstre verdadeira liderança ao presidir o G20, acabando com o financiamento do carvão em todo o mundo.

“O propósito do estabelecimento do G20 foi a estabilidade econômica global, e essa estabilidade está à beira do precipício por causa do colapso climático. Os avisos do IPCC não parecem estar surtindo efeito. Só as reservas em campos de petróleo e gás em operação, mesmo sem o uso do carvão, já elevariam a temperatura mundial além da meta 1,5° C estabelecida no Acordo de Paris. Enquanto o Japão e outros países do G20 continuam a financiar novas infraestruturas de combustíveis fósseis, nossos governos estão acelerando a emergência climática,” disse Brett Fleishman, Diretor da Campanha Global Finance da 350.Org.

Antes da reunião, uma nova pesquisa mostrou que os membros do G20 fornecem, pelo menos, 63,9 bilhões de dólares por ano em apoio de seus governos só para a produção e consumo de carvão; quase três quartos desse valor são direcionados para a produção de energia a carvão. Esse incentivo perigoso que promove a poluição climática não foi abordado na reunião.

“Eles chamam isso de ‘cúpula de líderes’, mas não houve liderança climática. A verdadeira liderança está nas mãos de pessoas que têm gerado mudanças em suas próprias comunidades, deixando de consumir carvão, petróleo e gás, como vimos acontecer esta semana em Lamu, no Quênia, onde uma usina de carvão apoiada pela China foi paralisada. A verdadeira liderança vem dos jovens que exigem ações climáticas globais. A verdadeira liderança é exercida por comunidades que estão se colocando em risco para fazer o trabalho de interromper os investimentos públicos e privados em carvão, petróleo e gás. Há muitos líderes da emergência climática no mundo, mas nenhum deles estava em Osaka”, afirmou Shin Furuno, ativista da campanha East Asia Finance da 350.org.

Todas as sextas-feiras, os jovens fazem ações em suas escolas em prol da ação climática. Eles convocaram uma Greve Climática Global, incluindo pessoas de todas as idades, para o dia 20 de setembro, antes da Cúpula do Clima da ONU, que acontecerá no dia 23 de setembro.

###

NOTAS PARA OS EDITORES:

As fotos dos protestos no Japão e em todo o mundo estão aqui.
Mais informações sobre JapãoSemCarvão campanha.
Mais informações sobre a usina de carvão de Lamu, que foi paralisada, no Quênia.
Informações sobre a
Greve Climática Global.

CONTATO NO JAPÃO:

Yasuhiko Seki, 350.org Japan, Tel.: +81-90-4752-7020, E-mail: [email protected]