Foto: Reprodução/TV Globo

RIO DE JANEIRO – Ainda antes da posse do novo presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, ocorreu mais um grande derramamento de petróleo na Bacia de Campos no campo de Espadarte, a 130 quilômetros de Macaé. Segundo a Folha de São Paulo,  plataforma está parada há 5 meses e está sendo desativada.

 

“É uma lástima enorme mais esse acidente na região. A Bacia de Campos, todo o bioma marinho, os pescadores da região têm sofrido muito desde o início da operação off-shore. Já nos testes sísmicos, antes mesmo da construção da plataforma de extração há um afugentamento dos peixes, afetando diretamente as comunidades pesqueiras. E também não podemos nos esquecer do gravíssimo acidente que aconteceu em 2011 provocado pela Chevron, deixando danos enormes e irreparáveis para o meio ambiente. Na ocasião, a economia local foi fortemente afetada uma vez que os pescados caíram em mais da metade do valor e as petroleiras não tomaram qualquer responsabilidade disso”, afirmou Juliano Bueno, coordenador de Campanhas Climáticas da 350.org Brasil e fundador e coordenador nacional da Coalizão Não Fracking Brasil pelo Clima, Água e Vida (COESUS) e do Instituto Internacional Arayara

Esse é o segundo vazamento de petróleo no Estado do Rio de Janeiro em menos de um mês. A Baía de Guanabara também teve suas águas e mangues atingidos por 60 mil litros de óleo em uma operação da Transpetro, Petrobrás Transporte S.A. Na ocasião as equipes da 350.org, COESUS, AHOMAR estiveram no local e constataram que o vazamento pode ser ainda maior do que o divulgado pela assessoria imprensa da companhia.

Inacreditável que mais um vazamento de petróleo esteja ocorrendo em um período tão curto. Não faz sentido uma operação ultrapassada, tão danosa para o meio ambiente e para as comunidades locais, como é a extração dos fósseis, receber tanto investimento. Temos os melhores recursos naturais para operar energias ecologicamente limpas e socialmente justas, assim como tecnologia de ponta para isso, disse Ilan Zugman, Mestre em Sustentabilidade, Organizer da 350.org Brasil e Voluntário da COESUS Coalizão Não FRACKING Brasil pelo Clima Água e Vida.

***

Livia Lie, coordenadora de Campanhas Digitais da 350.org Brasil e América Latina, comunicóloga, e Voluntária da COESUS Coalizão Não FRACKING Brasil pelo Clima Água e Vida.

Email : livia.lie@350.org

Telefones : (11)98136-0287 ou (41) 3240-1160 (comunicação)